Translations

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Nova página de Facebook

Criei uma página no Facebook e gostaria de convidá-los a darem lá um saltinho.
Aqui fica o link :


Se alguém quiser deixar aqui o seu endereço de Facebook, basta escrever nas mensagens e se não   quiserem que seja do domínio público, digam-me que eu não publico.
Boa semana!!!
:)

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

GOOGLE +

Serena do blogue Naquela janela virada pró mar e Ana do blogue Receitas fáceis, rápidas e saborosas! desculpem-me por não comentar nos vossos blogues, mas como não tenho (por opção) perfil GOOGLE +, não consigo comentar nos blogues que o têm (pelo menos até agora não consegui).
Mas obrigada pela vossa visita e voltem sempre!
:)

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

Ano novo, vida nova, livro novo, saúde nova, peso novo, tudo novo

Sei que toda a gente (ou pelo menos, quase toda a gente) faz resoluções de ano novo.
Prometemos sempre que agora é que é, que desta vez é que vamos meeeeeeeesssssssssssssssmo fazer dieta e perder os quilos que temos a mais (p'raí há uns 10 anos), que vamos inscrever-nos num ginásio e vamos lá todos os dias sem falta (hum, hum) e que aos fins-de-semana, vamos fazer umas caminhadas ou corridas e tornar-mo-nos as pessoas mais saudáveis do mundo (já ouviram esta história, não já?).
O problema, é que ao fim de uns dias (ou semanas, para os mais resistentes), já estamos a sonhar com bolos com creme, a ter pesadelos com alfaces mutantes e a atacar pratadas de bifes com batatas fritas, já nem podemos ouvir a música no ginásio e já nos vêm lágrimas aos olhos, só de nos lembrarmos que TEMOS de ir ao ginásio e aos fins-de-semana, queremos é dormir até mais tarde e temos de arrumar a casa e depois as caminhadas e corridas... mas quais caminhadas e corridas?!
Pois é. Acontece até às melhores famílias.
Este ano, as nossas resoluções de ano novo, têm a ver com as dietas (olha a novidade), com a saúde, com a nossa casa e com viagens.
Quando falo em dietas, não me estou a referir a pão e água, a saladas ou a dietas esquisitas, em que só comemos um tipo de alimento ou dois. Penso que todos os alimentos nos fazem falta (até a gordura e os açúcares), mas tudo com conta, peso e medida. Acho que a palavra chave é EQUILÍBRIO.
Eu e o Nuno, precisamos de perder peso. Principalmente eu. São muitos quilinhos que se têm vindo a acumular e desde que tive o acidente, em 2011 e fiquei com uma lesão na coluna, todo o peso em excesso prejudica-me e faz-me sentir dores horríveis nas costas.
E neste caso, são 24kg a mais... O Nuno, tem de perder 7.5kg.
Sei que a jornada vai ser comprida e difícil, mas que vamos conseguir. Tenho fé que sim, mas a fé sem obras é morta e sei que se não fizermos o que devemos, o peso vai continuar cá.
Por isso, chegou a hora de arregaçar as mangas e começar MESMO a tratar da nossa saúde.
Se perdermos o peso que temos a mais, é óbvio que o nosso corpo e o nosso organismo, também se vão sentir melhor e o Nuno, devido ao transplante, também tem que zelar pela saúde dele.
Como alguns de vocês já leram no blogue, fez este ano 2 anos, que o Nuno recebeu um transplante de rim.
Mudou radicalmente a qualidade de vida dele, pois já não tem de fazer diálise e faz uma vida absolutamente normal, com a excepção que tem de tomar todos os dias os imunossupressores.
Mas para manter a vida dele saudável, como qualquer pessoa, tem de ter cuidado com a alimentação.
Já que, graças a Deus, teve a oportunidade de receber essa dádiva tão grande que é um órgão novo, tem de cuidar dele para que este se mantenha sempre são e além disso, respeitar a memória de quem perdeu a vida e lhe pôde facultar o rim de que ele tanto necessitava.
Além do cuidado com a quantidade e qualidade da comida, vamos também começar a ter mais cuidado com os locais de onde ela provém.
Uma coisa que já fazíamos cá em casa, era comprar ovos de galinhas felizes, ou seja, galinhas criadas no solo e/ou ao ar livre.
Sei que são um pouco mais caros que os outros, mas os outros ovos, vêm de galinhas que passam a vida inteira numa gaiola pouco maior que elas, só para que possamos ter ovos para comer. :(
Por isso, quando descobrimos isso há uns anos atrás, tomámos essa decisão. Eu costumo comprar os ovos nos LIDL, pois além de serem mais baratos, têm uma gema amarelinha, que dá gosto!
Além disso, vamos passar a ter mais cuidado com os ingredientes e químicos que vêm nos rótulos das embalagens.
Vamos dar primazia aos legumes, cozidos, estufados e assados e evitar as molhangas com gordura (ai, ai) para molhar o pãozinho.
Outra coisa que já fiz e vou manter (isto pode chocar muito boa gente) pois foi uma das melhores decisões que tomei, foi deixar de pintar o cabelo (inserir música do Psycho aqui).
É verdade. Já há uns bons meses que deixei de pintar o cabelo e o cortei curtinho, para retirar todos os vestígios de tinta. O meu cabelo estava tão ressequido, que sinceramente, já me fazia lembrar palha.
Desde os meus vinte e muitos anos, que me começaram a aparecer cabelos brancos. Pintei-o em casa, na cabeleireira, com tintas naturais, sei lá e além do mal que me fazia ao cabelo e ao couro cabeludo, todos os meses, lá estava aquele risquinho no alto da cabeça, com as raízes a espreitar e lá iam mais não sei quantos euros para pintar.
Sei que há pessoas que se dão bem com as tintas e têm cabelos lindos mesmo assim, mas não era o meu caso. O meu cabelo agora está forte, saudável e já me chega aos ombros. Mais uns meses e tenho cabelo comprido como eu gosto e principalmente, saudável!
Em relação à nossa casa... A casa que temos hoje em dia é boa e gostamos dela, mas a realidade é que é muito grande para nós os 2 e o Tareco.
Temos 4 assoalhadas e 2 casas-de-banho. Mania das grandezas de outrora...
Mas é a nossa casa e por isso, temos de cuidar bem dela.
Sei que alguns estão a pensar: então porque é que não a vendem e compram outra mais pequena? Duh!
Bem, já nos lembramos disso, mas depois também pensamos bem (e isto é o ideal para não se tomarem decisões precipitadas: pensar) e decidimos não o fazer, porque não queremos ficar por estas bandas para sempre.
Queremos ir para terras mais quentes, para perto do mar e do sol e se Deus quiser, um dia havemos de ir morar para uma ilha tropical, numa casinha pequena e que seja feita ao nosso gosto, mas até isso acontecer, vamos manter-nos por aqui e poupar dinheiro para podermos acabar de pagar esta casa, o mais rapidamente possível.
Quanto ao interior da casa em si, queremos torná-lo realmente nosso. Com móveis e decorações que sejam a nossa cara, ao nosso gosto e não usar móveis brancos só porque é moda ou cortinas sei lá de que cor, só porque se usa (been there, done that).
Não somos minimalistas ferrenhos, mas também não gostamos nem queremos ter uma casa atulhada de bibelots só porque foram dados pela mãe, pelo pai, pela avó... Mas também não queremos uma casa fria, vazia ou só com 1 jarra em cima do móvel, porque é mais fácil e rápido de limpar.
Já vi casas minimalistas lindas, que não me pareceram frias e desabitadas, pelo contrário, assim como já vi casas a transbordar de quadros na parede e móveis antigos, que me pareceram  convidativas e nas quais, não me importava de morar. Acho que como tudo na vida, tem a ver com o meio termo, o tal EQUILÍBRIO de que falei e o bom senso.
E é esse meio termo, esse EQUILÍBRIO e bom senso, que queremos ter cá em casa.
Só termos os móveis de que precisamos e/ou gostamos, as decorações que realmente têm significado para nós e o estilo de que gostamos.
E vou apostar mais nas plantas cá para casa, pois além de purificarem o ar, acho que são a decoração mais linda que existe! Têm é de ser altas, para um determinado gato não dar cabo delas...
Quanto às viagens, queremos viajar mais. Adoramos viajar, mas com o transplante e as obras de renovação que fizemos em casa, as viagens ficaram um pouco para trás. Queremos voltar a desfrutar desse prazer, quer seja com viagens ao estrangeiro ou com escapadelas de fim-de-semana.
Desculpem o testamento, mas eu prometi que vinha cá mais vezes, não prometi? Mas não disse qual seria o tamanho dos textos!
E vocês, já fizeram ou escreveram as vossas resoluções de ano novo?